DIRETORIA   ESTATUTO   REGIMENTO   POLÍTICA DO SITE   FALE CONOSCO   ESPAÇO CIDADÃO  
   
   
PRINCIPAL
INSTITUCIONAL
JURÍDICO
NOTÍCIAS
ARTIGOS
MÍDIA OFICIAL
GALERIA DE FOTOS
PRESTAÇÃO DE CONTAS
ESPAÇO DO ASSOCIADO
APOSENTADORIA ESPECIAL
AOJUS RESPONDE
REAJUSTE SALARIAL
AGENDA
CURSOS
ENQUETES
ASSOCIE-SE
RECADASTRAMENTO
VOTAÇÕES
CONVÊNIOS
LINKS
MAPA DO SITE
ESPAÇO CIDADÃO
CAMPANHAS
 
DIEESE DIVULGA ESTUDO SOBRE A REFORMA ADMINISTRATIVA

Quinta-feira, 10 de setembro de 2020

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgou um estudo sobre a Reforma Administrativa proposta pelo governo. De acordo com o material, as proposituras apresentadas pelo Executivo desde o ano de 2019 diminuem as garantias orçamentárias previstas na Constituição Federal para os serviços públicos e retiram direitos dos servidores.
 
“O debate público, diante da anêmica economia do país, tem sido pautado pelo interesse do mercado e da grande mídia, que condenam os gastos públicos e depreciam a atuação dos servidores, propondo uma agenda de “Estado Mínimo” como solução para os problemas brasileiros”, afirma o Dieese.
 
Ainda de acordo com o Departamento, a justificativa para a implementação de uma Reforma Administrativa foi a mesma utilizada na Emenda Constitucional 95 – congelamento salarial, e com as reformas trabalhista e da previdência. “Como é visto e sentido pelo povo brasileiro, nenhuma dessas medidas teve qualquer força para impulsionar o crescimento do país”, diz.
 
Sobre a afirmação de que a proposta não atinge os atuais servidores, o material lembra que a estabilidade está condicionada ao “desempenho insatisfatório” e o fim da progressão por tempo de serviço, itens que afetam os servidores públicos atualmente no cargo. “Sem contar que é inaceitável uma mudança que precariza as condições de trabalho dos servidores e o atendimento à população, mesmo que no futuro”.
 
O estudo apresenta, ainda, as principais mudanças e considerações sobre a proposta da Reforma Administrativa.
 
 
Da assessoria de imprensa, Caroline P. Colombo


0 comentário(s) |