DIRETORIA   ESTATUTO   REGIMENTO   POLÍTICA DO SITE   FALE CONOSCO   ESPAÇO CIDADÃO  
   
   
PRINCIPAL
INSTITUCIONAL
JURÍDICO
NOTÍCIAS
ARTIGOS
MÍDIA OFICIAL
GALERIA DE FOTOS
PRESTAÇÃO DE CONTAS
ESPAÇO DO ASSOCIADO
APOSENTADORIA ESPECIAL
AOJUS RESPONDE
REAJUSTE SALARIAL
AGENDA
CURSOS
ENQUETES
ASSOCIE-SE
RECADASTRAMENTO
VOTAÇÕES
CONVÊNIOS
LINKS
MAPA DO SITE
ESPAÇO CIDADÃO
CAMPANHAS
 
MAIS ATAQUES: PRESIDENTE DA CÂMARA DIZ NÃO HAVER ESPAÇO PARA REAJUSTE DOS SERVIDORES COM APROVAÇÃO DA PEC DOS PRECATÓRIOS

Quinta-feira, 18 de novembro de 2021

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP/AL), afirmou que não vê espaço para o reajuste salarial dos servidores públicos caso a PEC dos Precatórios (Proposta de Emenda à Constituição 23/21, do Poder Executivo) seja aprovada pelo Congresso Nacional. Segundo ele, os números apresentados pela equipe econômica não preveem esse aumento. Ele ainda destacou que esse tema não foi apresentado aos parlamentares quando o texto foi acordado.
 
Lira disse, ainda, esperar que o Senado aprove com celeridade a PEC dos Precatórios e sem muitas alterações.
 
Reforma Administrativa
 
O presidente da Câmara criticou o governo por não se mobilizar pela aprovação da Reforma Administrativa (PEC 32/20). Segundo ele, é um “apoio pálido” em favor do texto. Lira não acredita que a reforma seja aprovada neste ano. “Temos basicamente quatro a cinco semanas de votação”, lembrou, já que o Congresso entra em recesso no final do ano. “Não temos como trazer essa matéria com as discussões como se encontram”, completou.
 
Emendas de relator
 
Lira disse esperar uma solução acordada entre Câmara e Senado em relação às emendas de relator do Orçamento. Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu a execução do chamado orçamento secreto. O Congresso aguarda a publicação do acórdão para apresentar embargos de declaração à Corte. Segundo Lira, qualquer decisão será para aumentar a transparência dos pagamentos dessas emendas.
 
“Ou, então, a saída seria devolver todo o Orçamento para o governo federal e aí o governo paga a quem quiser, como quiser, o quanto quiser, sem nenhum tipo de fiscalização. Penso que o bom senso vai imperar", destacou o presidente.
 
Mobilização permanente continua!
 
Servidores e servidoras de diversas categorias permanecem em mobilização permanente contra a PEC 32 e as demais propostas que retiram direitos e visam o desmonte do serviço público.
 
A AOJUS segue integrada e mobilizada nesta luta pela valorização da carreira em prol de melhores atendimentos ao cidadão.
 
Da assessoria de imprensa, Caroline P. Colombo com a Câmara dos Deputados


0 comentário(s) |